FLOR DE MARACUJÁ

Paulo de Freitas Mendonça

 

Avistei uma florzinha

Numa tarde serena

Na estância do Xiniquá,

Tão delicada e singela,

Tão pequenina e tão bela

A flor de maracujá.

 

Ficamos conversando,

E parece que a mim acenava

Num gesto de concordância

E quando a ela eu cantava,

Ela alegre dançava

Com ternura e elegância.

 

A flor de maracujá

É uma flor de simpatia

E com seu sorriso dizia

Que se houvesse mais compreensão,

Mais feliz ela seria

Embelezando o Rincão.

 

O seu sorriso era lindo,

Me dando inspiração

Então me pus a cantar

Uma suave canção

E os seus olhos brilhavam

De tanta satisfação.

 

Ó flor de maracujá

Donde brotará o fruto,

Beleza assim recoluta

Nos campos da querência

Teu perfume é suave,

E tu és a grande essência.

 

Quando o Patrão lá de riba

Inventou nosso mundo,

Te colocou num segundo

Junto a vida dos gaudérios

E tu sempre viverás

Com tua beleza e mistérios.

 

Feliz fiquei ao te ver,

Pois solita eu estava,

Por isso que eu andava

Impaciente a caminhar

E contigo me acalmei

Pois soubestes me escutar.

 

Tu me fizeste tão contente

Ó flor de felicidade

Florescida, há de permanecer

A tua autenticidade

E eu sempre vou querer

Teu carinho, amor e amizade.