PAMPA SINFONIA

Paulo de Freitas Mendonça

 

Grilam os grilos na várzea

Os sapos fazem acompanhamento

As cigarras vão cantando

Sobrevoando o momento

Os quero-queros mais alto

Demonstrando estarem atentos

E os barreiros nas tronqueiras

Fazendo suas casas

Com lama e cisco

Expressando seus talentos.

 

É lindo de ver a Pampa

Essência da natureza

O verde que é riqueza,

A maior do mundo

E aquele açude bem fundo

Onde a chuva faz paragem

E nem com a maior estiagem

Ele se deixa secar

Onde o gado bebe água

E os cuscos vão se banhar.

 

As calhandras imitando

Outros pássaros felizes

Correm lebres e cachorros

Levantando as perdizes

Berram touros campo a fora

O som da virilidade,

E os potros de crinas longas

Correm em liberdade.