Musical e Invisível

Autor Vaine Darde

 


E agora, o que é que eu faço

Com tua ausência na casa

Rondando a minha saudade

E agosto pedindo lenha

Pra esquentar a solidão

Com o guaxo, pelo pátio,

Balindo toda a tristeza,

Querendo saber de ti?

 

De que valeu ir embora

E deixar-me no abandono

Se essa falta me habita

Em cada lembrança tua

Que se apossa de mim?

Tu não sabes que o amor,

Por teimoso, se avoluma

Quando um sofre por dois,

E inventa mil motivos

Pra mentir que permanece

Encantada quem se foi?

 

Eu não sei o que fazer

Com teu perfume no catre

Mentindo aos meus sentidos

Que sob a pele do pala

É tua pele que eu beijo

Que é teu corpo que transita

Na penumbra do candeeiro,

Trêmulo de luz, ávido de amor.

 

Por que te foste e ficaste

Em tudo quanto deixaste

Vigiando a minha insônia?

Se quando o minuano solta

Os seus gatos no telhado

Eu levanto e faço fogo

Pra tomar mate contigo

E ouvir o teu silêncio

Que é a prosa que eu mais gosto

 

Eu não sei por quanto tempo

Vou povoar o rancho insone

Com a múltipla ausência

Do teu ser que me acompanha

Pois teus pés declamam versos

Quando em noites de verão,

Musical e invisível,

Andas nua pela sala...

Eu não vou changuear paixão

Pra manchar com as impuras

Tua imagem nos meus sonhos.

E por mais que eu desejo

Me provoque tentações

Eu não vou me enganar

E trair tua lembrança

Pois o amor que tu me deste

Supre todas privações...

 

Quando chego da estância,

E tomo mate, na varanda,

Há qualquer coisa de ti

Visitando as margaridas

E o guaxo se aproxima

Pois percebe a tua presença

Na ausência que me habita.

 

É por isso que eu não sei

O que fazer com tua falta

Que me cerca e me envolve

E me toma pra si

Enganando a solidão

Tenho medo que me baste

Essa estranha companhia

E assim e me acostume

A viver com teu fantasma.

 

Mas que coisa mais estranha

É esse tal de mal de amor

Que atiça as brasas dos sonhos

E bota fogo na insônia

E joga cinza nos olhos...

Esse amor que engana a gente

Que o passado não passou

E nos deixa sem presenta,

Inventando um futuro

Que, há muito, já se foi...

 

Por isso eu sonho contigo

E penso que é realidade

Achando que permaneces

Quando sei que já partistes.

Por isso o amor é forte,

Por isso o amor domina:

Quando o homem se apaixona

A cabeça fica oca

E quem pensa é o coração!